Cremes dentais orgânicos são alternativas no mercado sustentável

Clinica White - Dentista em Brasília

Os produtos são opções para quem quer seguir um estilo de vida sustentável, mas especialistas alertam para a ausência de flúor

Quem pensa que produtos orgânicos se resumem à comida está enganado. Cosméticos que prometem ser totalmente naturais ganham cada vez mais espaço no mercado como uma opção para quem busca uma alternativa sustentável. E a lista de produtos vai além da maquiagem. Já é possível higienizar a boca com cremes dentais orgânicos e até veganos.

A maior parte das marcas reforça que o uso de pastas dentais convencionais são prejudiciais ao meio ambiente e para a saúde. O novos itens orgânicos utilizam o selo eco-friendly e prometem os mesmos efeitos que outras através da composição totalmente natural.

Sem uso de químicos na composição, os cremes dentais apostam em óleos e açúcares naturais para criar a experiência parecida com outras pastas. Além disso, com a variedade de plantas e frutas à disposição, elas trazem sabores diferentes como camomila, laranja, anis e até canela.

O dentista Halley Mestrinho aponta que os cremes dentais orgânicos atraem um público mais jovem e preocupado com o meio ambiente. Um dos pontos que chama atenção é a falta do flúor, substância química que protege os dentes das cáries. Hoje, segundo o especialista, as pastas convencionais vêm com uma quantidade mínima necessária que previne os problemas bucais.

Mas o médico afirma que, mesmo sem o flúor, não há problema em experimentar as versões orgânicas. “É importante investir em uma escovação eficiente e no uso do fio dental”, comenta.

O presidente do Conselho Regional de Odontologia do DF, Samir Majjar, também afirma que o uso da pasta orgânica é uma questão de escolha.

“Faz parte das escolhas de um estilo de vida. Vejo que muita gente está caminhando para opções mais conscientes e a pasta orgânica oferece um alternativa sem produto químico”, comenta.

Ele lembra que a pasta é como um sabonete. “A função principal é remover a placa”. Para ele, as pastas orgânicas podem cumprir essa atribuição igual as outras.

O ponto da ausência de flúor em muitas delas é o que o presidente do conselho questiona. Ele conta que mudanças já foram feitas quando o excesso de flúor começou a causar problemas à saúde. “O flúor é uma das questões que vem sendo alterada. Ele também é prejudicial à saúde, mas muitas pastas, hoje, tem uma concentração mínima, porque nossas águas já são fluoretadas”.

Já a Secretária de Saúde alerta que a falta do flúor pode ser um ponto negativo dessas novas pastas. Segundo o órgão, o flúor funciona como uma proteção e deixa o dente mais resistente contra cáries.

Segundo o órgão, muitos dos detalhes de cremes dentais (sabor, cor, efeito na boca)  é questão de conforto para a escovação. Se as pastas dentais orgânicas ou tradicionais apresentam diferenças específicas para a saúde bucal, não há estudos ou pesquisas com conclusões sobre o tema.